Aprender Criança 2024

Dados do Trabalho


Título

RECURSOS PEDAGOGICOS NA EDUCAÇAO ESPECIAL E INCLUSIVA: PROJETO RONDON, UM RELATO DE EXPERIENCIA

Objetivos

Descrever a experiência de uma oficina de capacitação sobre recursos pedagógicos na educação especial e inclusiva, ministrada pela equipe de estudantes universitários da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) durante o Projeto Rondon. Especificamente, objetiva relatar a construção de um espaço sensível de trocas de conhecimentos entre os alunos e professores municipais, assim como favorecer a discussão sobre a valorização da inclusão no processo de ensino-aprendizagem.

Material e Método

O Projeto Rondon envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população. É coordenado pelo Ministério da Defesa, que proporciona o suporte logístico e a segurança necessários às operações (Taham et al., 2015).
Os principais objetivos do projeto são: formação e fortalecimento da cidadania do estudante universitário; auxílio na formação acadêmica; promoção do bem-estar social e qualidade de vida nas comunidades assistidas; fortalecimento de políticas públicas; desenvolvimento do sentimento de responsabilidade social, espírito crítico e trabalho em equipe (Projeto Rondon, 2023).
Este resumo, trata-se de um relato de experiência da oficina "Recursos Pedagógicos na Educação Especial e Inclusiva’’ desenvolvidas pelo Projeto Rondon na Operação Sentinelas Avançadas no estado de Rondônia, no período de 6 a 23 de julho de 2023. Participaram desta operação 8 alunos de graduação e 2 docentes da FMRP-USP, os quais atuaram em conjunto com a equipe da Universidade Federal de Goiás (UFG). A oficina foi realizada no município de Alta Floresta D’Oeste, contando com a participação de 20 moradores, sendo eles cuidadores, pedagogos e assistentes sociais.
A oficina foi dividida em duas partes. Na primeira etapa, conduzida por alunas dos cursos da Terapia Ocupacional e do Direito, foi desenvolvida uma abordagem teórica. O conteúdo incluiu a diferenciação entre educação especial e inclusiva, contextualização histórica da educação, marcos do desenvolvimento, diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e métodos e recursos educacionais para educação inclusiva. Adicionalmente, foi oferecido ensino sobre análise de comportamento, com vídeos contendo exemplos práticos. Ao término desta etapa, um caso clínico foi apresentado, seguido de compartilhamento de informação de possíveis intervenções entre os participantes.
Em seguida, os participantes se reuniram ao redor de uma mesa para a realização da atividade prática, a qual consistiu na confecção de tapetes sensoriais. Os alunos auxiliaram na elaboração dos tapetes, fornecendo as orientações necessárias. Os recursos utilizados incluíram EVA, fios coloridos, peças de bijuteria, papéis texturizados, cola, tesoura, tintas e lápis.
Ao término da oficina, foram distribuídos questionários de avaliação anônimos com o objetivo de avaliar a condução da mesma, bem como a eficácia do aprendizado proporcionado e a possibilidade de replicação do modelo na comunidade.

Resultados

A oficina foi estruturada a partir da atividade de tapeçaria sensorial, que estimulou a interação e a troca de experiências entre profissionais de diferentes áreas, enriquecendo o conhecimento coletivo. A produção desse material pedagógico voltado para crianças do espectro autista foi um dos principais ganhos práticos da oficina, pois estimulou a criatividade dos participantes ao oferecer um recurso tangível que poderá ser aplicado no cotidiano desses profissionais.
Ademais, durante o workshop, foi possível discutir os conceitos fundamentais e a relevância da inclusão escolar, além de esclarecer possíveis dúvidas em relação a comportamentos e situações que envolvem o espectro autista. Um dos aspectos mais enriquecedores da oficina foi o empoderamento que ela proporcionou aos membros da comunidade, ao favorecer conhecimentos úteis que poderão ser reproduzidos em sua prática profissional.
Para avaliação da atividade, os indicadores para aferição de resultados estavam relacionados à quantidade de pessoas presentes e a respectiva contabilização de respostas que elas forneceram. Essas avaliações ocorreram por meio de reações de emoticons e cada emoticon era representado por uma quantidade de estrela, sendo 1 estrela a mais negativa e 5 estrelas a mais positiva. Havia ainda espaço para o acréscimo de comentários ou sugestões.
O feedback geral foi extremamente positivo, com a maioria dos participantes avaliando a oficina com cinco estrelas e aplicável em suas práticas profissionais. Todos os participantes relataram um aumento significativo no conhecimento sobre recursos pedagógicos inclusivos. A troca de experiências foi destacada como um dos pontos mais valiosos da oficina, permitindo que cada profissional compartilhasse suas práticas e aprendesse com os demais. Eles relataram que sentiram-se mais preparados para enfrentar os desafios da educação inclusiva, munidos de novas estratégias e recursos.
É preciso enfatizar que, após a realização do evento, a Secretaria da Educação municipal entrou em contato com os rondonistas sobre a possibilidade de realizarem mais vezes essa oficina. Como não foi possível, nos meses seguintes à operação na cidade a própria prefeitura organizou um ciclo de eventos nas escolas sobre a temática. Assim, demonstrando a relevância da iniciativa.

Conclusões e implicações dos resultado

Portanto, é evidente que a oficina realizada sobre recursos pedagógicos na educação especial e inclusiva na cidade de Alta Floresta D’Oeste, em Rondônia, contribuiu para empoderamento da comunidade, uma vez que eles puderam aprender tanto sobre o conteúdo teórico quanto a experiência prática através da reprodução do tapete sensorial, o qual poderá ser confeccionado, posteriormente, no contexto de salas de aula. Além disso, o conteúdo apresentado pode ser replicado, proporcionando maior suporte e ferramentas para a inclusão escolar.

REFERÊNCIAS

PROJETO RONDON. Página oficial do projeto Rondon. 2023. Disponível em: <http://projeto-rondon.pagina-oficial.com/portal/>.

TAHAM, T. et al. Uma experiência de vida e cidadania no Projeto Rondon: a importância da Extensão para o desenvolvimento social. Boletim Técnico IFTM, Uberaba-MG, ano 1, n.1, p.28-35, set./dez., 2015.

Área

Neurodesenvolvimento e seus Transtornos

Categoria

Educador

Instituições

Universidade de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

SOPHYA DE LIMA DOMINGOS, MILENA ALVES SILVA, ISABELA DALLASTA CALANDRIN, LORRANE ALMEIDA CARDOSO